História da Literatura LGBTQ


Continuado com a programação do Pride Month aqui no blog, hoje eu trago para vocês um pouco sobre a história da literatura LGBTQ!

Diz-se literatura LGBTQ toda a produção literária feita por ou para a comunidade LGBTQ, que envolva personagens, temas ou narrativas no âmbito da comunidade e cultura LGBTQ. Os textos LGBTQs podem se enquadrar em gênero, como ficção histórica, ficção científica, fantasia, horror e romance. O termo de é relativamente novo, assim como os textos que exploram especificamente as outras letras da sigla além do G e L, pois, entendimento de gênero e sexualidade é algo muito recente.

A aceitação social da homossexualidade variou de cultura para cultura ao longo da história, com isso as pessoas LGBTQ recorreram à literatura como fonte de validação, compreensão e embelezamento da atração pelo indivíduo a quem se deseja. A literatura LGBTQ também pode documentar os estresses psicológicos e alienação sofridos por aqueles que sofrem preconceito, auto-aversão, intimidação, violência, condenação religiosa e suicídio.


Temas de amor entre indivíduos do mesmo sexo são encontrados em uma variedade de textos antigos em todo o mundo, os gregos antigos, em particular, exploraram o tema em vários níveis diferentes em obras.

A Ilíada (VIII a.C) de Homero é considerada uma das primeiras obras a retratar um relacionamento amoroso entre dois homens — Aquiles e Pátroclo — ainda que não tenha sido de forma explícita. O Simpósio (385-370 a.C) de Platão também inclui um mito da criação que explica a homossexualidade e a heterossexualidade e celebra o amor erótico entre os homens, assim como alguns dos diálogos de  Fedro onde o mesmo fala abertamente sobre relacionamentos entre homens. 

A poesia de Safo de Lesbos é considerada o trabalho fundamental da literatura lésbica. Não resta muito da poesia de Safo, mas do que restou foi possível perceber que ela escreveu sobre vida cotidiana das mulheres, seus relacionamentos e rituais, assim como, a beleza feminina e por seu amor por mulheres.

Uma das primeiras obras conhecidas que retratam bissexualidade na literatura é Fanny Hill, de John Cleland de 1748 e a obra mais famosa que retrata a bissexualidade é O Retrato de Dorian Gray, de Oscar Wilde de 1890. 

Ainda que não haja textos sobre a transexualidade na história antiga, existem mitologias que apresentam ações divinas que resultam em mudanças de gênero, como exemplo temos Iphis, Tiresias e Loki.

No século XX, a discussão sobre homossexualidade se tornou mais aberta e a compreensão da sociedade sobre ela evoluiu e uma série de romances com temas e personagens explicitamente gays começou a aparecer no domínio da literatura convencional ou artística. No século XXI, grande parte da literatura LGBTQ se tornou amplamente conhecida e divulgada e muitos trabalhos foram aclamados e premiados, e muitos ganharam adaptações cinematográficas.

16 Comentários

  1. Olá!
    Muito legal ver alguns exemplos de que por mais que ainda exista muita resistência, esse tema já vem sendo trabalhado tem bastante tempo.
    Mesmo que não seja o mundo perfeito, é bom ver que hoje existe uma liberdade maior para que esse viés da literatura tenha um maior alcance.

    Beijos!

    ResponderExcluir
  2. Oiii Alisson

    A literatura LGBT é bem antiga mesmo, ao longo dos séculos às vezes desaparecia dependendo dos contextos mais turbulentos que a humanidade enfrentava mas esteve sempre aí, ainda que através de autores anônimos ou pequenos textos. Que bom que hoje já se vê uma liberdade maior para os autores do gênero.Ainda há muito para se mudar, mas acho que estamos caminhando.

    Beijos, Ivy

    www.derepentenoultimolivro.com

    ResponderExcluir
  3. Olá Alisson, como vai? Quero muito saber se você está cursando a faculdade de história? Porque meu esposo está e ele ama ficar procurando a origem das siglas, cidades, religiões, etc; por isso, nem preciso dizer que amei sua programação do Pride Month e vou ler as outras postagens também. Eu ainda não consigo diferenciar as siglas LGBTQIA+ e LGBTQ mas, sou a favor da publicação de mais livros neste gênero, precisamos conhecer mais sobre o assunto através dos livros, das músicas, dos filmes, enfim, da cultura de uma maneira geral.
    Vou participar da booktubatona e pretendo ler dois livros LGBTQIA+ que tenho na estante.
    Abraços!

    Viviane Almeida
    Resenhas da Viviane

    ResponderExcluir
  4. Oi Alisson

    A literatura LGBT é antiga. Adorei obter mais conhecimento através da sua postagem. Espero continuar acompanhando mais conteúdo assim no seu blog. PARABÉNS!!

    Bjos

    ResponderExcluir
  5. Olá, tudo bem? Interessante saber um pouco mais de quando houve a inserção da literatura lgbtq na história! Sabia dessas questões mitológicas e principal aparecimento nas histórias das sociedades romanas e gregas, porém não seus pormenores. Adorando as postagens!
    Beijos

    ResponderExcluir
  6. Oi, tudo bem?
    Eu amei o seu post! Tenho visto muitas indicações de livros LGBTQ, o que acho ótimo porque peguei muitas dicas, mas ainda não tinha visto nada sobre a história da Literatura LGBTQ. Não sabia que a Ilíada foi um dos primeiros livros a retratar um relacionamento homossexual, achei bem interessante.
    Enfim, amei o post e achei as informações que você trouxe muito interessantes.
    Beijos!

    ResponderExcluir
  7. Oii!

    Ah que delicia de post! Eu acredito que estamos sempre em uma constante evolução e desconstrução... Confesso que não sabia muito sobre a história LGBTQI+, mas é muito bom ver sobre o tema que precisa de tanto espaço. Gostei do seu artigo, bem escrito e informativo! Fiquei muito feliz <3

    Beijinhos,
    Ani
    www.entrechocolatesemusicas.com.br

    ResponderExcluir
  8. Que post maravilhoso adorei saber mais a respeito, é muito bacana que atualmente tenha se tornado mais aberto falar sobre isso, e melhor ainda que a literatura esteja tão viva e presente no assunto <3

    ResponderExcluir
  9. Eu amo publicações assim! Sempre aprendo mais. E não sei como, no século que estamos, as pessoas problematizam algo que nem deveria ser discutido. Amor é amor! Obrigada pela publicação, compartilhei.

    Sai da Minha Lente

    ResponderExcluir
  10. Oi!
    Te admiro por suas publicações e comentários, é muito bom aprender mais e mais, o respeito sobre as escolhas de cada um tem que ser enfatizado sempre. Temos referencias desde a Roma antiga e Grécia antiga só tem muita gente que gosta de tapar os olhos e enxergar o que quer. Parabéns pelo post e pela sua resenha, abraços!

    ResponderExcluir
  11. Eu acabei de ler o seu primeiro post do tema e adorei, agora vim aqui ler esse e gostei muito também. Acho mega importantes vermos o tema ser cada vez mais discutido na literatura e que blogs de conteúdo literário também falem sobre.

    ResponderExcluir
  12. Eu acabei de ler o seu primeiro post sobre o mês e eu gostei muito de como você está trazendo esses assuntos tão relevantes e de uma forma bem eficaz. Tô amando ler!

    ResponderExcluir
  13. Nossa que postagem interessante. Boa parte do que foi falado eu não sabia, muito bom adquirir conhecimento sobre esse tema tão importante e atual. Parabéns pela pesquisa e pelo ótimo texto.

    ResponderExcluir
  14. Oi Alisson, tudo bem?
    Essa tua postagem histórica foi excelente! Agora que eu vi que é uma série delas porque estamos em junho e eu, e que BAITA pecado meu, não sabia que esse era o Pride Month. Que vergonha minha essa. Vou ler as postagens anteriores sobre esse tema, que sem dúvida é muito importante abordar.
    Um beijo de fogo e gelo da Lady Trotsky...
    http://www.osvampirosportenhos.com.br

    ResponderExcluir
  15. Confesso que eu não sabia muitas coisas que você citou aqui, o que me fez enxergar além. Apesar da discussão ter começado no século XX, realmente precisamos que ela seja ainda mais explorada e discutida. Que esse tipo de literatura cresça ainda mais! Parabéns pelo seu post.

    ResponderExcluir
  16. Que post lindo, necessário e super informativo!
    Não sabia de metade das coisas que você contou no post, mesmo a literatura LGBTQ fazendo parte da minha rotina!
    Obrigada por esse post! :) Parabéns!

    ResponderExcluir