Quantos Livros de Protagonistas Não Brancos Você Leu?


Dia desses, logo depois de terminar a leitura de Um Lugar Só Nosso, tive um estalo do óbvio, a protagonista do livro não era branca, com isso decidi criar uma nova uma "estante temática" para os livros de protagonistas não brancos que eu já li lá no Goodreads, quando comecei a por os livros na nova estante levei um susto, até o momento que escrevi esse texto eu tenho 270 livros lidos e desse total apenas 19 leituras possuíam protagonistas não brancos, isso não dá nem 10% do total de minhas leituras e sabem o que é pior? Eu como pessoa negra só li dois livro com protagonista negro.

Quando me tornei um verdadeiro leitor eu cansei logo dos livros com protagonistas héteros porque eu não me sentia representado, logo eu passei a ler muitos livros de temática LGBT, já li mais de 50 e com eles eu pude ver minha realidade nas leituras. Mas, demorei demais para perceber que, mesmo que eu tenha fugido de protagonistas héteros, eu continuei a fazer leituras que "não me representavam" por que eu basicamente só li livros com protagonista branco, eu meio que percebi isso a algum tempo, mas, só quando contei os livros com protagonistas de cor foi que percebi como eu estou mal representado em minhas leituras.

É perceptível o movimento editorial em lançar livros com protagonistas não brancos, porque a busca está sendo grande e o material é escasso, foi a mesma coisa com livros LGBTs também, no fim representatividade é importa em todas as áreas da arte. Minha estante continua repleta de livros com protagonistas brancos, que claramente não deixarei de ler, mas, a partir desse momento darei mais atenção a esse gênero, atenção essa que já deveria ter dado a mais tempo.

Alguns dos livros com protagonistas não brancos que li

Aristóteles e Dante Descobrem Os Segredos do Universo
Dante sabe nadar. Ari não. Dante é articulado e confiante. Ari tem dificuldade com as palavras e duvida de si mesmo. Dante é apaixonado por poesia e arte. Ari se perde em pensamentos sobre seu irmão mais velho, que está na prisão. Um garoto como Dante, com um jeito tão único de ver o mundo, deveria ser a última pessoa capaz de romper as barreiras que Ari construiu em volta de si. Mas quando os dois se conhecem, logo surge uma forte ligação. Eles compartilham livros, pensamentos, sonhos, risadas - e começam a redefinir seus próprios mundos. Assim, descobrem que o amor e a amizade talvez sejam a chave para desvendar os segredos do Universo.

One Man Guy
Ethan é tudo o que Alek gostaria de ser: confiante, livre e irreverente. Apesar de estudarem na mesma escola, os dois garotos pertencem a mundos diferentes. Enquanto Ethan é descolado e tem vários amigos, Alek tem apenas uma, Becky, e convive intensamente com sua família e a comunidade armênia. Mesmo com tantas diferenças, os destinos de Ethan e Alek se cruzam ao precisarem frequentar um mesmo curso de férias. Quando Ethan convence Alek a matar aula e ir a um show de Rufus Wainwright no Central Park, em Nova York, Alek embarca em sua primeira aventura fora de sua existência no subúrbio de Nova Jersey e da proteção de sua família. E ele não consegue acreditar que um cara tão legal quer ser seu amigo. Ou, talvez, mais do que isso.

Trilogia Para Todos Os Garotos Que Já Amei
Resenha
Para todos os garotos que já amei, P.S.: Ainda amo você e Agora e para sempre, Lara Jean são os três volumes de uma trilogia apaixonante que acompanha os altos e baixos da vida de Lara Jean Song, uma menina descendente de coreanos que guarda suas cartas de amor em uma caixa de chapéu que ganhou da mãe. Mas não são cartas escritas para ela, e sim por ela. Uma para cada garoto que Lara Jean já amou – cinco ao todo.
Escrevendo, a filha do meio da família Song — uma garota inteligente, planejada e responsável, que tem a receita do cookie perfeito — consegue abrir o coração e colocar em palavras tudo aquilo que não é capaz de dizer em voz alta. São palavras, afinal, que jamais serão lidas por ninguém. Quando, porém, essas cartas secretas são enviadas aos destinatários, a vida de Lara Jean sai do papel e se transforma em algo que ela não pode mais controlar. Algo, talvez, muito mais emocionante.

Tudo e Todas As Coisas
Resenha
"Minha doença é tão rara quanto famosa. Basicamente, sou alérgica ao mundo. Qualquer coisa pode desencadear uma série de alergias. Não saio de casa. Nunca saí em toda minha vida. As únicas pessoas que já vi foram minha mãe e minha enfermeira, Carla. Eu estava acostumada com minha vida até o dia que ele chegou. Olho pela minha janela para o caminhão de mudança, e então o vejo. Ele é alto, magro e está vestindo preto da cabeça aos pés. Seus olhos são de um azul como o oceano. Ele me pega olhando-o e me encara. Olho de volta. Descubro que seu nome é Olly. Talvez eu não possa prever o futuro, mas posso prever algumas coisas. Por exemplo, estou certa de que vou me apaixonar por Olly. E é quase certo que será um desastre."

O Sol Também é Uma Estrela
Resenha
Natasha: Sou uma garota que acredita na ciência e nos fatos. Não acredito na sorte. Nem no destino. Muito menos em sonhos que nunca se tornarão realidade. Não sou o tipo de garota que se apaixona perdidamente por um garoto bonito que encontra numa rua movimentada de Nova York. Não quando minha família está a 12 horas de ser deportada para a Jamaica. Apaixonar-me por ele não pode ser a minha história.
Daniel: Sou um bom filho e um bom aluno. Sempre estive à altura das grandes expectativas dos meus pais. Nunca me permiti ser o poeta. Nem o sonhador. Mas, quando a vi, esqueci de tudo isso. Há alguma coisa em Natasha que me faz pensar que o destino tem algo extraordinário reservado para nós dois.
O Universo: Cada momento de nossas vidas nos trouxe a este instante único. Há um milhão de futuros diante de nós. Qual deles se tornará realidade?

E Se Fosse A gente?
Resenha
De férias em Nova York, Arthur está determinado a viver uma aventura digna de um musical da Broadway antes de voltar para casa. Já Ben acabou de terminar seu primeiro relacionamento, e tudo o que mais quer é se livrar da caixa com todas as lembranças do ex-namorado.
Quando eles se conhecem em uma agência dos correios, parece que o universo está mandando um recado claro. Bem, talvez não tão claro assim, já que os dois acabam tomando rumos diferentes sem ao menos saberem o nome ou telefone um do outro.
Em meio a encontros e desencontros — sempre embalados por referências a musicais e à cultura pop ¬—, Ben e Arthur se perguntam: e se a vida não for como os musicais da Broadway e os dois não estiverem destinados a ficarem juntos? Mas e se estiverem? Aos poucos, eles percebem que às vezes as coisas não precisam ser perfeitas para darem certo e que os planos do universo podem ser mais surpreendentes do que eles imaginam.

Vermelho, Branco e Sangue Azul
Resenha
O que pode acontecer quando o filho da presidenta dos Estados Unidos se apaixona pelo príncipe da Inglaterra?
Quando sua mãe foi eleita presidenta dos Estados Unidos, Alex Claremont-Diaz se tornou o novo queridinho da mídia norte-americana. Bonito, carismático e com personalidade forte, Alex tem tudo para seguir os passos de seus pais e conquistar uma carreira na política, como tanto deseja.
Mas quando sua família é convidada para o casamento real do príncipe britânico Philip, Alex tem que encarar o seu primeiro desafio diplomático: lidar com Henry, irmão mais novo de Philip, o príncipe mais adorado do mundo, com quem ele é constantemente comparado ― e que ele não suporta.
O encontro entre os dois sai pior do que o esperado, e no dia seguinte todos os jornais do mundo estampam fotos de Alex e Henry caídos em cima do bolo real, insinuando uma briga séria entre os dois.
Para evitar um desastre diplomático, eles passam um fim de semana fingindo ser melhores amigos e não demora para que essa relação evolua para algo que nenhum dos dois poderia imaginar ― e que não tem nenhuma chance de dar certo. Ou tem?

Um Lugar Só Nosso
Lucky é uma jovem estrela do K-pop. Talentosa e cheia de determinação, tem como próximo objetivo expandir sua carreira para o ocidente, e um passo importante para isso está prestes a acontecer: ela vai participar do programa norte americano Later Tonight Show, alguns dias depois do último show de sua turnê, em Hong Kong. O problema é que, por mais que tenha o mundo ao seus pés, Lucky ainda tem dúvidas de que essa é a vida que realmente deseja.
Jack está em seu ano sabático, entre o fim do colégio e o início da faculdade - ou, pelo menos, é o que ele diz para a família. Apaixonado por fotografia, tudo o que deseja é entrar em um curso de artes, mas não sabe como contar isso aos seus pais. Para conseguir se sustentar, faz bicos como paparazzo para um tabloide sensacionalista, e quando conhece Lucky tem o maior furo que poderia desejar bem à sua frente.
Durante um fim de semana em que fingem ser outras pessoas, Lucky e Jack vão descobrir mais sobre si mesmos do que imaginavam -e viver um romance digno de uma canção de sucesso.

Quantos livros de protagonistas não brancos você leu? Quais seus favoritos? Me contem para eu pesquisar e botar em minha lista de leitura!!

27 Comentários

  1. Olá!
    Nunca parei para contar por esse lado de cor, sempre leio e observo a história mas, não sei quantos já li. Sei que no total de todos os gêneros que já li com certeza já passaram de 200 livros rs
    Beijocas.

    https://www.parafraseandocomvanessa.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Haha deveria Vanessa, porque é algo bem importante!! ;*

      Excluir
  2. Ai migo, eu ando cada vez mais preocupada em diversificar a minha estante. Ano passado eu li uma boa quantidade de livros de pessoas não brancas e acabou que esse ano eu me juntei com outras meninas e a gente criou o Empretecendo Narrativas e eu tô muito feliz com isso. Eu acho que tem se feito cada vez mais necessário dar valor pra outras narrativas, são histórias tão marcantes e com tanto peso!
    Da sua lista eu já li VBESA e AriDante! Mas também é importante dar voz as pessoas não brancas que escrevem, né?!
    Amei seu post!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu reparei ao passear pelo seu blog, achei maravilhoso demais isso! Vou me dedicar a leitura desse gênero com mais afinco no ano que vem!!

      Excluir
  3. Oi, Alisson!
    Representatividade importa muito, né?! Acho que quando vamos amadurecendo como leitores essas questões vão ficando ainda mais relevantes. Dando uma olhada rápida na minha estante, percebo que já li muitas coisas de protagonistas não-brancos, mas mesmo assim a quantidade ainda é pequena ao ser comparada com os demais livros.

    Beijos, Entre Aspas

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sem dúvidas importa demais!! As vezes nem é necessariamente culpa nossa né? Só quando a gente percebe é que vamos mudando mesmo!! ;*

      Excluir
  4. Olá, tudo bem? Que postagem bacana! Isso é realmente um assunto a se pensar. Dos que tu citou, eu já li "Para todos os garotos que já amei" e "tudo e todas as coisas".

    Beijos,
    Duas Livreiras

    ResponderExcluir
  5. Oi Alisson.

    Que postagem maravilhosa!
    Confesso que li muito pouco mesmo livros com protagonistas não brancos. Que eu recordo são apenas dois ou três. Eu anotei as dicas literárias que você mencionou no post pois não li nenhum deles. Obrigada pelas dicas.

    Bjos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ahh obrigado Kênia!! Não tenho como dizer que não te entendo né? Espero que leia algum deles e goste!! ;*

      Excluir
  6. Oi migo!

    É uma realidade né... Depois que vi seu post parei pra pensar nisso também! E infelizmente eu também li pouquíssimos livros com protagonistas não-brancos... Mas pelo menos percebi que desde o ano passado tenho lido muito mais escritores negros, principalmente mulheres!

    Beijo! ♥️

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oie Aninha!! Sim é uma realidade e até meio pesada kkkk fico feliz que você já vinha mudando a situação! Agora é minha vez hahah

      Beijos!!

      Excluir
  7. Aiii que post cheio de amor <3 Sou super apaixonada pelos livros da Nicola exatamente por isso. Ela criou personagens maravilhosos, assim como a Jenny Han. Amo todos! Os outros que você apresentou, eu ainda não li, mas confesso que tenho muita vontade. De cabeça, não consigo pensar em nenhum personagem agora.

    Beijos,
    Blog PS Amo Leitura

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ai foi uma mistura de amor e um pouco de tristeza não vou mentir!! Também adoro as personagens delas não vou mentir, inclusive saudades de livros novos delas!!

      Excluir
  8. Olá tudo bem?
    Como pessoa bissexual, entendo perfeitamente o que você diz. Também veio procurando me atentar no quanto as minhas leitura me representam e, mais que isso, também procurar outros livros que trazem narrativas que são muitas vezes esquecidas: como as de protagonistas não brancos. Eu adorei a sua lista, mas infelizmente dos livros citados só li Vermelho, Branco e Sangue Azul. Porém, muitos já estão na minha lista de próximas leituras e pretendo lê-los logos.

    Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ahhh Camila, que legal!! Já ali alguns livros com protagonistas bis, mas não vou mentir não foram muitos, mas adoro do mesmo jeito!! VBESA é tudo para mim amei demais o livro não vou mentir!! Espero que consiga ler algum dos que indiquei!!

      Excluir
  9. Essa reflexão é super importante. Já tinha visto em algum outro blog só não lembro em qual, mas confesso que quando leio não presto muita atenção nesse ponto, se eu for pensar na minha lista de livros lidos não conseguiria lembrar da cor da pele dos personagens. Mas com certeza esse ponto deve ser levantado e até conversado com os autores nacionais (os quais temos acesso) para quem sabe eles escrevam mais sobre outros grupos que não os brancos. Enfim parabéns pela reflexão que fez e por nos levar a perceber e entender a importância dessa inclusão.
    Nem todos refletem sobre o que estão comprando e lendo, muitos seguem as modas.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu bem sem que muitas vezes não refletimos, somos conquistados pela sinopse e acabamos seguido o fluxo, mas, quando a gente passa a perceber isso é um caminho sem volta a gente passa sempre a prestar atenção nessa questão!!

      Excluir
  10. Oi Alisson!
    As vezes por falta de atenção mesmo, não prestamos a atenção a esse detalhe. Eu sempre procurei dar mais chance a autores nacionais por causa da representação que eles tem diante de nós, para muitos não fazem diferença mas para mim é muito importante. Então acho que informação é tudo, vamos divulgar fazer chegar a mais pessoas o que como leitores sentimos e agimos. Parabéns pelo seu post, fiquei emocionada e encantada com suas palavras, temos voz e podemos fazer chegar longe. Abraços!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Cris!! Olha concordo totalmente com você nessa questão viu? A gente tem sempre que dar voz a quem melhor nos representa!! Obrigado e vamos em frente!!

      Excluir
  11. Alisson,
    Adorei seu post! Acho super importante destacar a representatividade nos livros, precisamos nos sentir representados e conectados as histórias. Li dois dessa sua lista, mas anotei a dica dos outros!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Concordo Mara é realmente sempre muito importante!! Espero que leia e goste das outras indicações!!

      Excluir
  12. Oiiii tudo bem?
    Da sua publicação eu só não li Vermelho, branco e sangue azul e também Um lugar só nosso (quero muito ler esses dois). Tenho me policiado para buscar livros que tenham protagonistas que fujam do padrão e me surpreendido bastante <3

    Sai da Minha Lente

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. São sem dúvidas dois ótimos livros, acredito que você irá gostar deles! Fico feliz com sua atitude Clayci!!

      Excluir
  13. Que post mais perfeito, arrasou! Eu só li O Sol também é uma estrela e amei, mas todos esses outros estão na minha lista e tenho certeza de que serão leituras maravilhosas. Eu assisti aos filmes de Para todos os garotos que já amei e simplesmente fiquei encantada, preciso ler os livros o quanto antes

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. PTOGQJA é realmente uma coisinha muito gostosa de ler, ao menos eu gostei bastante da leitura, caso consiga ler espero que goste!!

      Excluir
  14. Oi Alisson, cheguei aqui pra comentar em um post e acabei parando nesse tema tão importante que são a leitura de livros de autores não brancos, percebi que minha estante não estava colorida há dois anos e de lá pra cá, tenho tentado ao máximo mudar minhas leituras. Esse ano percebi que sempre lia livros com personagens héteros e agora estou me aventurando por livros com personagens LGBTQIA+. Adorei seu post.

    ResponderExcluir