As Desventuras de Arthur Less


Título: As Desventuras de Arthur Less (Less) • Autor: Andrew Sean Greer • Editora: Record • Tradução: Márcio El-Jaick • Compre: Amazon

O que esperar de um livro vencedor do Pulitzer? Eu realmente não sabia bem o que esperar, afinal ele pode ter vendido o prêmio e ainda assim a leitura do mesmo não me agradar. Mas foi quando eu li a sinopse do livro que eu soube que eu teria que lê-lo de qualquer maneira e foi exatamente isso o que fiz assim que consegui ter o livro em minhas mãos.

Terminei de fazer a leitura e amei, amei tanto que não sei se vou conseguir expor com palavras tudo o quê senti ao terminar a leitura. A escrita do autor é fluida e te prende a leitura com uma força incrível, a forma como ele desenvolve seus personagens e protagonista torna fácil a criação de vínculo com os mesmos.

As pessoas costumam dizer que fugir dos problemas não é a melhor solução, mas o que fazer quando seu ex vai casar e tanto aceitar o convite quanto negar é algo problemático e humilhante? E como se isso não bastasse você ainda tem passa pela crise da meia idade e ter que lidar com suas inseguranças e incertezas? Fugir de fato não é o melhor a se fazer, mas, algumas vezes a fuga nos mostra fatos sobre nos que mesmo a um palmo de nossa cara não percebíamos, as vezes na fuga encontramos resoluções para problemas que a gente nem sabia que existia e isso sem dúvidas acaba nos tornando mais fortes para enfrentar aquele primeiro problema que nos fez fugir.

O que mais me agradou da leitura em si foi o fato dela retratar a vida de um homem gay vivendo a meia idade, é raro encontrar esse tipo de personagem em literatura contemporânea, ainda mais um que exponha de forma tão crua e verdadeira que nem sempre a sua vida vai estar as mil maravilhas como se é “esperado” e que mesmo já tendo vivido tanto ainda há muito mais a se viver. É sabido que todos vamos envelhecer, mas a velhice é um fantasma que assombra homens gays por N motivos e bom, isso perceptível até na literatura pela escassez de livros contemporâneos com protagonistas nessa idade.   

Bom, não é muito difícil entender porque o livro foi premiado no fim das contas, Arthur é um personagem muito real e de tão real se faz muito fácil se identificar com seus defeitos, qualidades, problemas, inseguranças e incertezas. Sem duvidas esse é o tipo de livro que merece uma releitura a cada nova década que se completa e é exatamente isso que irei fazer!

Arthur Less é um escritor medíocre prestes a completar 50 anos. Certo dia, recebe um convite de casamento: o homem com quem teve um relacionamento não tão sério assim nos últimos nove anos está com data marcada para se casar. Ele não pode dizer que vai, pois seria estranho demais, e não pode dizer que não vai, já que seria o mesmo que admitir a derrota. Less pensa: “O que eu posso fazer para não estar na cidade na época do casamento?” Então, em sua mesa, vê vários convites para eventos literários menores no mundo inteiro. O que ele faz? Aceita todos!
O que poderia dar errado? Arthur Less quase se apaixona em Paris, por pouco não morre caindo em Berlim, foge de uma tempestade de areia no deserto do Saara, reserva por acidente estadia num retiro cristão na Índia e encontra, numa ilha deserta no mar Arábico, a última pessoa que gostaria de ver no mundo. Em algum lugar no meio disso tudo, ele faz 50 anos. E, em algum momento em meio a isso tudo, ele encontra seu primeiro amor. E seu último.

18 Comentários

  1. Olá, tudo bem? Não conhecia esse livro ainda, mas pela tua resenha e pelo prêmio que ele ganhou, não tenho dúvidas de que é uma leitura incrível, principalmente por ter um personagem tão "real". Adorei a resenha e a dica!

    Beijos,
    Duas Livreiras

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado, foi o fato de ter um personagem tão real que me conquistou!!

      Excluir
  2. Olá..
    Adorei a sua resenha!
    Ainda não conhecia a obra em questão, mas pelos seus comentários pude perceber que com certeza é um livro que me agradaria. A premissa é bem legal e, é claro, já anotei a sua dica!
    Bjo

    http://coisasdediane.blogspot.com/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigadinho, que bom que gostou da premissa, espero que leia em algum momento.

      Excluir
  3. Eu amo quando pegam um livro premiado em coisas ~cult e botam uma capa despojada!! Enfim, sabe que tem esse livro lá na loja mas eu nunca nem peguei para ler a sinopse e agora to levemente curiosa por sua causa?

    Silviane, blog Memento Mori• Siga no Instagram: @kzmirobooks

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois deveria ficar curiosa mesmo e ficando curiosa deveria ler, você anda devendo umas leituras LGBTs!!

      Excluir
  4. Oi Alisson.

    Tem livros que gente ama tanto a leitura que e não falta palavras para expressar, por isso sei com você está sentindo com este livro. Sua resenha foi uma surpresa, porque eu tinha visto a capa mas ainda não tinha lido nenhuma opinião sobre ele e gostei. Vou tentar adquiri-lo para leitura. Parabéns pela resenha.

    Bjos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado, concordo contigo viu? As vezes as palavras não são o bastante para expressar o sentimento pelo livro.

      Excluir
  5. Não conhecia o livro! Mas muito bom saber da premiação e que realmente mereceu esse destaque. gostei da premissa e sua resenha despertou o meu interesse pela leitura.

    Sai da Minha Lente

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olha eu fiquei bem espantando em relação ao prêmio, mas realmente amei o livro a premissa é muito boa mesmo!

      Excluir
  6. Alisson
    arrasou na escolha da leitura e ainda mais, na resenha!
    Simples e certeira, disse tudo que eu precisava saber para ficar interessantissima na obra.
    Eu não a conhecia e fiquei feliz em conhecê-la. Como você disse, é um personagem real não retratado. Ele precisava aparecer, não é mesmo?!

    Bjos

    http://www.livreando.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ai obrigado haha verdade viu, é preciso por esses personagens reais em visibilidade, deixar a marginalidade e fingir que eles não existem é exatamente o que a sociedade faz na "vida real".

      Excluir
  7. Oi Alisson!
    Não conhecia esse livro, mas adorei a capa. Lendo sua resenha deu para perceber a perspectiva de uma pessoa de meia idade tentando viver e sobreviver em uma crise. Adorei sua resenha, fiquei curiosa em saber mais do personagem e o que ele fez para mudar ou não mudar sua vida. Parabéns pela resenha, obrigado pela dica. Abraços!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu também gosto bastante da capa do livro, espero que leia o livro em algum momento!!

      Excluir
  8. Oi, Alisson. Não conhecia esse livro, mas depois da sua resenha já inclui ele na minha lista de futuras leituras. Curti o fato dele trazer alguém mais velho, acho que esse é um dos diferenciais e vai me acrescentar novas experiências.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Esse diferencial é exatamente o que torna o livro tão interessante espero que consiga lê-lo em algum momento.

      Excluir
  9. Olá não conhecia o título adorei suas considerações a respeito da obra, fiquei bem tentada pela leitura, espero ter a chance de conhecer a escrita e personagem mais a fundo!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Também espero que você consiga ler o livro em breve e que goste dele, quero saber sua opinião sobre o mesmo.

      Excluir